quinta-feira, 8 de outubro de 2009

História do Município de Caucaia

O Municipio de Caucaia surgiu fruto de um aldeamento indigena. Aqui habitavam nações indigenas das tribos: Potiguares, Tremenbés, Cariris e Anacés.
Os indios potiguares ficavam localizados na região onde hoje está circunscrita o centro da cidade, onde era o coração da Aldeia. Os Tremembés ficavam mais para as cercanias do Município, os Cariris, voltados mais para o litoral, enquanto que os indios anacés, ficaram aldeados na atual região de Japuara, Camará, Mangabeira, atingindo parte da zona litorânea.
Durante longos anos a Aldeia de Caucaia, ficou entregue a ordenações índigenas com explorádicas missões religiosas que se revezavam, trazendo a fé, e implantando a proposta portuguesa de dominação.
Caucaia é uma denominação de nomenclatura indígena que quer dizer mato queimado.
Caucaia, como Aldeia ficou na dependencia da Vila de Fortaleza, e só depois com a determinação do Marques de Pombal, suprimindo todas as Aldeias administradas pelos Jesuítas, transformando-as em Vilas e Vigariatos.
Com a determinação do Marques de Pombal, a Aldeia de Caucaia, foi transformada em Vila, juntamente com mais cinco aldeia existentes na Capitania do Ceará.
A Aldeia de Caucaia recebeu o nome de Vila Nova Real de Soure por determinação da corte portuguesa,e no dia 15 de Outubro de 1759, foi realmente oficializada. A camara Municipal se reuniu pela primeira vez, posteriormente, a 17 de Outubro do mesmo ano.
Recebeu esta denominação, de Vila de Soure, oriunda de uma freguesia do Bispado de Coimbra, Portugual, pois as regiões políticas administrativas conservava o sitema das antigas freguesias, que tinham autonomia religiosa e política.
Vila Nova de Soure, posteriormente Soure, após a independencia do Brasil, e finalmente Caucaia, sua ultima e definitiva denominação.
É um municipio cearense que foi marcado profundamente pela influencia da vida e presença missionária dos Jesuítas, que em toda a sua extensão guarda as suas raízes deste processo evangelizador e colonizador da empreitada portuguesa.
No ano de 1735, esses missionários, designados pela Carta Régia de 2 de outubro deste, pouco depois estavam em plena atividade catequética dos índios que habitavam a região, os Caucaias.
Com o desenvolvimento do povoado, chegou a ordem para cumprimento da Provisão Régia de 14 de abril de 1755 a Alvarás de 06 e 07 de junho do mesmo ano, através dos quais o Governo Português então sob o comando de Marquês de Pombal, determinava o sequestro de fatos os bens dos Jesuítas. A mesma ordem também mandava que se elevassem a condição de Vila, os lugares e aldeias que fossem excluídos da administração daqueles religiosos, que seriam, pouco depois,expulsos do Brasil.
Desse modo, o Capitão-Mor do Ceará, Francisco Xavier de Miranda Henrique, com o devido apoio daquela provisão Régia, fundou a Aldeia de Soure. A atual Caucaia de mar, serra e sertão.
Já em 1759, a Vila de Soure passou a ser denominada de Vila Nova de Soure no dia 05 de fevereiro do ano supra mencionado, sob a invocação de Nossa Senhora dos Prazeres.
A festa solene de instalação, realizou-se no largo da Igreja Matriz, no dia 15 de novembro de 1759, sendo oficializada a denominaçao de Vila Nova de Soure.
Após os 184 anos, houve a denominação de Soure para Caucaia, pelo Decreto-Lei 1.114, de 30 de dezembro de 1943.
Criada em 1972, a Bandeira de Caucaia é retangular com uma faixa larga horizontal ao centro em cor vermelha. Acima e a baixo desta, há seis (06) faixas estreitas e horizontais, nas cores preta, branca, alternadas.
Sobre a faixa vermelha ao centro, um círculo branco com o MAPA DE CAUCAIA, em cor vermelha, tendo escrito ao lado direito do Monumento do Cruzeiro a palavra Caucaia em letras brancas contornadas de preto. No Mapa estão assinalados os distritos que compõem o Município.
O Monumento do Cruzeiro é alusão dos Jesuítas que fizeram de Caucaia um dos principais núcleos de Colonização do Ceará.
É um Monumento histórico colocado no adro da Igreja Nossa Senhora dos Prazeres (Igreja Matriz), existente desde muitos anos e que foi restaurada para a comemoração do 1º Centenário da Independência do Brasil, a 7 de setembro de 1822. Na placa comemorativa há os seguintes dizeres:
“Independência ou Morte, 7 de Setembro de 1822 – Homenagem ao povo de Soure à gloriosa data do 1º Centenário da Independência do Brasil. Sendo Presidente da República Dr. Epitácio Pessoa.
Governador do Estado Dr. Justiniano de Serpa - Prefeito Municipal Coronel Fausto Dário Sales – Vigário Paroquial Padre Ciscinato Camo Chaves”.
Este Monumento do ano de sesquicentenário torna-se um símbolo de nossa Cidade. É o símbolo da Fé Cristã que desde os primórdios de nossa Pátria no sentido do Evangelho.
Quando Pedro Alvares Cabral descobriu o Brasil trouxe consigo a Bandeira da Ordem de Cristo que lhe foi ofertada pelo Rei Dom Manuel. Foi esta a primeira Bandeira a tremular no céu Brasileiro.
A Bandeira de Caucaia, foi criada por inspiração do Lion’s Clube de Caucaia, sendo presidente o Dr. José Maria Pontes da Rocha. A comissão encarregada, presedida pelo Professor Mauricio Braga Gadelha, escolheu as cores: preta, vermelha e branca para serem as cores do Municipio e selecionou o modelo hora descrito.
HINO de CAUCAIA
I
A surgir em siderio levante,Vemos doce serena fulgirAurea estrela formosa e ofuscante,Como nuncia de um novo porvir
II
Do progresso da glória e da luz,Do futuro ideal do prazerE de tudo que mais nos seduz,A ventura que vem do saber
III
É Caucaia nossa terra valorosa,Que desonta como sol no azul de anilNossa gente que luta fervorosa,Conquistando um espaço no Brasil
IV
Nosso povo é valente e destemido,Tem a força e muito amor no coraçãoA bandeira é o estandarte colorido,Pois Caucaia é parte da nação.
V
A surgir em siderio levante,Vemos doce serena fulgirAurea estrela formosa e ofuscante,Como nuncia de um novo porvir
VI
Do progresso da glória a da luz, do futuro ideal do prazer E de tudo que mais nos seduz, a ventura que vem saber.
Letra:Dr. Vicente Gondin/Pe. Tula Música: Denizarde Catunda Gondin
Governo Municipal de Caucaia • prefeitura@caucaia.ce.gov.br •

Nenhum comentário:

Postar um comentário